Discurso de Encerramento de Mandato do Grão Mestre Irmão Iraci. (Demo)

Para que a nossa Jurisdição possa tomar conhecimento, eis a integra do discurso efetuado pelo então Grão Mestre Irmão Iraci da Silva Borges, no dia 22 de março, quando da Sessão Magna de Posse do Grão Mestre Irmão Valdemar Kretschmer.

DISCURSO DE ENCERRAMENTO DO MANDATO”

Ao tomarmos posse, quando dirigimos as no

ssas primeiras palavras na condição de Grão Mestre da Grande Loja do Paraná, o fizemos renovando os nossos compromissos assumidos em campanha e ao finalizarmos, o fizemos relembrando texto de Fernando Pessoa – PEDRAS NO CAMINHO, que assim diz:

Posso ter defeitos, viver ansioso e ficar irritado algumas vezes,

Mas não esqueço de que minha vida

É a maior empresa do mundo…

E que posso evitar que ela vá à falência.

Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver

Apesar de todos os desafios, incompreensões e períodos de crise.

Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e

Se tornar um autor da própria história…

É atravessar desertos fora de si, mas ser capaz de encontrar

Um oásis no recôndito da sua alma…

É agradecer a Deus a cada manhã pelo milagre da vida.

Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos.

É saber falar de si mesmo.

É ter coragem para ouvir um “Não”!!!

É ter segurança para receber uma crítica,

Mesmo que injusta…

Pedras no caminho?

Guardo todas, um dia vou construir um castelo…  “.

 

Três anos se passaram, desde então, e chegamos ao fim de nosso mandato com a mesma humildade que nos envolvia quando da posse, mas com o orgulho de podermos dizer que cumprimos todas as promessas feitas, com ações que moldaram a Grande Loja do Paraná às exigências do Século XXI, onde estamos inseridos dentro de uma Sociedade em ebulição, mais atenta àquilo que a cerca, mais exigente no respeito aos seus direitos e mais próxima de enxergar as obrigações que lhe cabem.

Juntos, Grão Mestrado e Jurisdição, colocamos a Grande Loja do Paraná em uma terceira fase pela qual terá que passar a Maçonaria, ou seja, após a operativa e a especulativa, a executiva, aplicando no dia a dia o fruto de nosso aperfeiçoamento pessoal.

Estamos nos despedindo dos encargos do Grão Mestre com a absoluta certeza de que o fazemos para uma jurisdição que não tem o mesmo entendimento do papel da Maçonaria, do que aquele que possuía quando de nossa posse.

Não nos despedimos de uma Grande Loja do Paraná melhor do que era, mas de uma Grande Loja do Paraná que é diferente daquela que nos acolheu para que a dirigíssemos nestes últimos três anos.

Somos hoje mais presentes nas atividades de nossas comunidades.  Aperfeiçoamo-nos para exercer a maçonaria com mais fraternidade e solidariedade.  Vivemos de uma forma mais transparente.

Construímos, ao longo destes três anos, a Grande Loja que queríamos e o fizemos a tantas mãos quantos foram aqueles que se empenharam a concretizá-la.   Não foi uma ação do Grão Mestre.   Não foi uma ação da Administração.   Todo o resultado partiu de ação conjunta daqueles que compõem a nossa jurisdição, do Aprendiz ao Mestre Instalado, envolvidos nesta aspiração de fazermos algo diferente, que agregasse cada vez mais os Irmãos à nossa Ordem e que os fizesse sentir o orgulho, não apenas de serem Maçons, mas de pertencerem a Grande Loja do Paraná.

Chega ao fim a nossa missão de dirigir os trabalhos da Grande Loja do Paraná, transmitindo-a ao Irmão Valdemar Kretschmer, que sempre demonstrou capacidade administrativa e conhecimento maçônicos suficientes para levar adiante o trabalho que iniciamos.

A renovação é sinônimo de arejamento das idéias, o que propiciará à nossa Grande Loja um progresso mais consistente, consolidado, uma vez que mantido o direcionamento promovido.

Cabe-nos assim, após breve momento de descanso, colocarmo-nos à Ordem para que a nossa força de trabalho possa ser utilizada pelo novo Grão Mestre, sem a menor perspectiva de intervencionismo ou de qualquer ação que possa confundir-se com interferência em seu mandato.

Permanecemos em pé, com todas as nossas forças dirigidas a auxiliar o novo Grão Mestre em fazer de seu mandato uma das mais belas páginas da história de nossa Grande Loja, limitando-nos a ser um Past Grão Mestre que tem verdadeiro amor pela Instituição.    Past Grão Mestre que tem orgulho de a ter dirigido e que lhe deseja o melhor que o futuro lhe possa reservar.

Finalizando, agradecemos a todos os membros de nossa equipe de trabalho, Luzes, Oficiais, Delegados e Funcionários, que se envolveram diretamente com as realizações havidas em nosso mandato.  Reconhecemos o absoluto comprometimento havido e a impossibilidade de mensurarmos o quanto cada um despendeu em prol da Grande Loja do Paraná, concretizando realizações que podem ser atribuídas a todos e a cada um.

Ao terminar, pedimos permissão para citarmos um texto, também de Fernando Pessoa, cuja obra tem a nossa especial admiração, dela extraindo aquele que se denomina “PRATICANDO O DESAPEGO”, que invoca belíssima lição, dizendo:

Sempre é preciso saber quando uma etapa chega ao final.

Se insistirmos em permanecer nela mais do que o tempo necessário, perdemos a alegria e o sentido das outras etapas que precisamos viver.

Encerrando ciclos, fechando portas, terminando capítulos.

Não importa o nome que damos o que importa é deixar no passado os momentos que já se acabaram.

As coisas passam, e o melhor que fazemos é deixar que elas possam ir embora.

Deixar ir embora. Soltar. Desprender-se.

Ninguém está jogando nesta vida com cartas marcadas, portanto, às vezes ganhamos, e às vezes perdemos.

Antes de começar um capítulo novo, é preciso terminar o antigo: diga a si mesmo que o que passou jamais voltará.

Lembre-se de que houve uma época em que podia viver sem aquilo.

Nada é insubstituível, um hábito não é uma necessidade.

Encerrando ciclos, não por causa do orgulho, por incapacidade ou por soberba, mas porque simplesmente aquilo já não se encaixa mais em sua vida.

Feche a porta, mude o disco, limpe a casa, sacuda a poeira.

Quando um dia você decidir apor um ponto final naquilo que já não te acrescenta, que você esteja bem certo disso, para que possa ir em frente, ir embora de vez.

Desapegar-se é renovar votos de esperança de si mesmo,

É dar-se uma nova oportunidade de construir uma nova história melhor.

Liberte-se de tudo aquilo que não tem te feito bem, daquilo que já não tem nenhum valor, e siga, siga novos rumos, desvende novos mundos.

A vida não espera.

O tempo não perdoa.

E a esperança é sempre a última a te deixar.

Então, recomece, desapegue-se!

Ser livre, não tem preço!

COM A LIBERDADE DE QUEM TEM ORGULHO DE SER MAÇOM E DE TER DIRIGIDO OS DESTINOS DA GRANDE LOJA DO PARANÁ.

 Obrigado.

Iraci da Silva Borges.

Past Grão Mestre da Grande Loja do Paraná.

 

Após o discurso, todos os presentes aplaudiram de pé ao Irmão Iraci, reconhecendo de forma insofismável, a liderança exercida, assim como, as mudanças acontecidas na Grande Loja do Paraná. É inegável, a transformação de gestão acontecida, o crescimento e o reconhecimento, estão evidentes.

[dmalbum path=”/wp-content/uploads/dm-albums/GM-discurso/”/]

Deixe seu comentário