Policia Civil do Pr. prende membros da espúria Grande Loja Mista do Rito Memphis-Misraim (Demo)

A Grande Loja do Paraná, esteve presente na apresentação à Imprensa, dos acusados de estelionato, pertencentes a Grande Loja Mista do Rito de Memphis-Misraim,  oportunidade em que os Irmãos Lincoln Lourenço Macuch (Grande Orador), Irmão Celso Dircksen (Grande Secretário de Relações Interiores) e o Irmão Vilson Toledo (Venerável Mestre da Loja Fraternidade Universal Nº 70 – Curitiba) representando o Sereníssimo Grão Mestre Irmão Valdemar Kretschmer , que encontra-se em viagem ao exterior  participando da Conferência Mundial das Grandes Lojas, acompanharam as ações, assim como, esclareceram aos órgãos de divulgação, de que a Grande Loja Mista do Rito Memphis-Misraim, é uma potência espúria, não reconhecida pelas Potências Regulares e que não possuem nenhuma ligação com a mesma. 

As duas últimas fotos são os Irmãos Macuch, Dircksen e Toledo por ocasião da coletiva na Delegacia de Estelionato, representando a Grande Loja do Paraná, assim como, do Irmão Francis Artur Carstens membro da Loja Colunas da Verdade e Fraternidade Nº 147 – Oriente de Curitiba e Investigador da Delegacia de Esteliona e Desvio de Cargas e que participou ativamente das Investigações.

Para conhecimento da nossa Jurisdição, abaixo transcrevemos a matéria do Paraná-OnLine.

“Policiais Civis da Delegacia de Estelionato e Desvio de Cargas (DEDC) deflagraram, na manhã desta quarta-feira (21), a Operação Castelo de Areia, nas cidades Curitiba e Campo Largo.

A Grande Loja Mista do Rito Memphis-Misraim, um luxuoso templo maçônico em forma de castelo, localizada em Campo Largo, era a sede de um grupo de maçons irregulares, não reconhecidos pela Maçonaria.

Esse grupo usava programas de TV e sites para anunciar a associação à rede, prometendo lucros aos participantes, que inicialmente teriam que contribuir para poder entrar e na sequência eram lesados, algo aos moldes de uma pirâmide. Estima-se que eles deram um prejuízo em torno de R$ 4 milhões. Foram presas sete pessoas e cumpridos 11 mandados de busca e apreensão.

Segundo o delegado-adjunto da DEDC, Matheus Laiola, foi erguido um luxuoso templo no formato de um castelo em Campo Largo, para que lá fossem realizadas reuniões de uma pseudo Maçonaria.

O casal Samuel Mineiro da Trindade, 34 anos, e Bianca Moreira da Silva, 28 anos, eram responsáveis pela Loja Maçônica. Eles e outras seis pessoas, também presas na manhã desta quarta, participavam da organização criminosa.

Através do programa Maçonaria da TV, veiculado em um canal de televisão e no site www.grandeloja.org.br, as vítimas eram convidadas a investir em um negócio que lhe daria ótimo rendimento. “Era utilizada a estrutura da suposta Maçonaria e de seus membros como pano de fundo para tentar dar credibilidade aos negócios”, disse Laiola.
As possibilidades de investimentos eram nos negócios da Grande Loja Mista do Rito de Memphis-Misraim, como venda de material de iniciação, apostilas que ensinam os rituais, CDs com mensagens, programa na TV que permite angariar novos adeptos, dentre outros. “Os membros que se apresentavam às vítimas estavam sempre com veículos de luxo, ostentando riqueza”, lembrou Laiola.
Trindade e Bianca apresentavam o programa na televisão vestidos de maneira a dar um ar de seriedade e ao mesmo tempo de ostentação. Eles posavam para fotos que seriam postadas no site vestidos com roupas luxuosas e ao lado de carros valiosos.

Depois de conseguirem a vantagem ilícita, eles começavam a se esquivar do pagamento, momento em que a vítima percebia ter caído em um golpe. “Foi montada toda uma estrutura criminosa, com divisão de tarefas de cada indivíduo, para, juntos, lesarem o patrimônio alheio. Representamos pelas prisões preventivas de todos os envolvidos e diversos mandados de busca e apreensão, tendo o Ministério Público concordado e o Judiciário aceito integralmente”, disse Laiola.

“Conseguimos apreender diversos documentos durante o cumprimento dos mandados comprovando o que estávamos investigando. Apreendemos, inclusive, uma arma de fogo com um dos investigados, que acabou sendo preso em flagrante por posse ilegal de arma de fogo. Esta é mais uma Operação da DEDC em que acabamos desmantelando uma outra Quadrilha que agia no Paraná”, explicou o delegado-titular da DEDC, Marcelo Lemos de Oliveira.
Além de Trindade e Bianca, foram presos preventivamente José Geraldo Ferreira, 55 anos, Marcelo Lopes Reinecken, 33 anos, Edson da Cunha Souza, 52 anos, Paulo Henrique Costa, 49 anos, e Eloir Antônio Padilha, 52 anos.

Participaram da operação 50 policiais civis lotados na DEDC, Delegacia de Furtos e Roubos (DFR), Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos (DFRV), Centro de Operações Policiais Especiais (Cope), Núcleo de Repressão aos Crimes Econômicos (Nurce) e Tático Integrado de Grupos de Repressão Especial (Tigre).”

[dmalbum path=”/wp-content/uploads/dm-albums/Memphis-CasteloAreia/”/]

Deixe seu comentário